O NOVO MARACANÃ E O NOVO GRÊMIO

No velho Maracanã lembro de inesquecíveis vitórias do nosso Grêmio. Recordo do gol do Carlos Miguel em 1997 o título da Copa do Brasil. E hoje, com o Maracanã reformado totalmente, foi fantástico acompanhar mais uma vitória do Grêmio. Ainda mais quando o time mostra clara evolução a cada jogo.

Acredito que o Tricolor levou a melhor sobre o Botafogo muito por causa de dois jogadores fundamentais em um time de futebol: o goleiro e o centroavante. Marcelo Grohe e Hernán Barcos fizeram a diferença.  Nas poucas vezes que o time carioca conseguiu chutar, nosso goleiro mostrou porque é o menos vazado do Brasil. E Barcos, além de fazer os dois gols do jogo, que é o que se espera de um centroavante, participou de quase todos os ataques perigosos do Grêmio.

Contudo, o time do Felipão não é só isso. O treinador conseguiu um feito e tanto ao montar a melhor defesa do Brasil apesar do Pará. Rodholfo e Geromel são gigantes na defesa e ainda contam com a proteção do excelente Wallace na frente da área.

Nosso meio campo está consistente na marcação e na ocupação de espaços, mas ainda está carente de uma boa transição para o ataque. Nos faltam articuladores. Luan mesmo parecendo um pouco descompromissado, quando está com a bola geralmente cria uma jogada mais lúcida e de criatividade. Falta um companheiro pra ele dividir fundamental tarefa de criação. No jogo de ontem Zé Roberto buscou suprir essa carência articulando as jogadas vindo de trás pelo lado esquerdo.

Quem deveria realizar essa transição junto com Luan seria o terceiro homem de meio (ontem, o insuficiente Ramiro, mas penso que poderia ser Biteco ou até mesmo Giuliano) e o nosso segundo atacante Dudu. Acredito que falta para o camisa 7 gremista capacidade de trocar mais passes. Dribla muito, mas na maioria das vezes de forma improdutiva. Podemos dizer que é uma usina para acender uma lâmpada. De seus pés saíram apenas dois gols em 2014. Número constrangedor para um atacante.

Temos defeitos normais para um time em formação, porém Felipão já montou uma espinha dorsal de um time competitivo, com goleiro, zagueiro central, primeiro volante e centroavante. Este time, com alguns ajustes em 2015, pode nos levar de volta ao caminho dos títulos.

Luiz Eduardo Barbosa

Conselheiro Suplente do Grêmio e Integrante do Grupo Grêmio Imortal

Comente