EVOLUÇÃO CONTINUADA

Em apenas 07 minutos abatemos o urubu no Estádio Mané Guarrincha em Brasília, deixando-o “tonto” até o final da partida. Aliás, um urubu que não é nem uma caricatura de outros que já vimos, com Zico, Júnior, Leandro, Nunes, Zinho, dentre outros, e não reúne qualidade para brigar por algo mais significativo no campeonato brasileiro.

Renato não deixa de ter razão em dizer que “esquema bom é o que ganha”, pois se ontem os deuses do futebol nos tivessem pregado uma peça e, talvez na infelicidade de lances isolados tivéssemos perdido um jogo que esteve sempre dominado, não faltariam figuras na nossa crônica esportiva para criticá-lo. São figuras que chamo de “profetas do acontecido”.

Ainda que tenha ocorrido alterações de esquema em alguns dos últimos jogos, fico contente em observar a evolução tática da equipe, onde parece que o esquema 3-5-2 vem se consolidando. Se o 3-5-2 é o melhor, sinceramente não sei. Mas é o que vem sendo adotado, ensaiado e executado, com três volantes facilitando o trabalho da zaga, fazendo cobertura aos três zagueiros e deixando nossa zaga quase com a mesma tranquilidade e frieza de nosso arqueiro. Pior seria a alteração de esquema a cada jogo, pois como já disse neste espaço, isso dificulta a adaptação dos jogadores.

Se tecnicamente não fomos perfeitos – pois houve 35 passes errados patrocinados pelos nossos jogadores – me anima ver a evolução do time do Grêmio, que ontem foi muito bem taticamente, sobretudo devido à entrega de nossos jogadores que, com aplicação que nos remete a idos tempos, proporcionaram 38 desarmes contra apenas 12 do Flamengo. Muitos desses desarmes foram feitos por Barcos, outro que aos poucos vem voltando a jogar aquilo que sabe.

É essa aplicação e entrega e que nos dá força. Um time solidário e bem aplicado taticamente acaba superando as eventuais deficiências técnicas e torna-se competitivo, pois ainda que não jogue um futebol de encher os olhos com lances geniais, obtém o resultado.

Além dos três pontos, cabe destacar a grande participação da torcida do Grêmio, única no Brasil que se mostrou capaz de rivalizar com a torcida do Flamengo em quantidade (pois qualidade tem muito mais) e ruído. Parecia que jogávamos na nossa Arena.

Que seja assim na quarta-feira contra o Santos pela Copa do Brasil. Que tenhamos ainda mais determinação, entrega, e também um pouquinho mais de sorte. E se não for na técnica, que seja na raça. Convoco a torcida a lotar a Arena e empurrar o Grêmio à classificação à próxima etapa da competição.

Vem pra Arena, vem torcer, vem gritar, #vemprogremio!

Gilberto J. Cerqueira Júnior

Conselheiro do Grêmio

Ex-presidente do Grupo Grêmio Imortal

Comente