O QUE VIMOS NA QUARTA E O QUE QUEREMOS VER AMANHÃ

Estreamos em Brasileirões na Arena. Contra o Vitória com a Geral aberta, finalmente. Vimos um time um pouco melhor. Queremos vê-lo ainda melhor amanhã, contra o Galo. Vimos o Biteco no meio-de-campo correndo, se esforçando e demonstrando que tem condições de ser titular. Veremos ele amanhã? Será mesmo que o Luxa e seu “pojeto” pretendem deixar o Zé Roberto e o Elano fora? E eles aceitam ficar fora? Vimos o Elano entrar no segundo tempo e arrasar com o jogo. Não só pelo gol, seus passes foram todos espetaculares. Mas e ele começando uma partida? Vai morrer aos 10 do segundo? Veremos amanhã.

Vimos também um início de jogo bem no estilo chato que o Grêmio vem apresentando. Vimos o Grêmio trocar 60 passes improdutivos até perder a bola sem nenhum objetivo traçado. Mas vimos, depois desses 20 minutos, um pequeno avanço. Parece que ficaram a fim de jogo e começaram a arrematar. A partir de um chute de fora da área de Kleber, os 60 passes diminuíram para uns 30 e em metade das vezes terminavam em açoites ao adversário, causando uma pressão até o final do primeiro tempo que nos deixou esperançosos e confiantes, até. É esse Grêmio que veremos amanhã? Vamos ter um objetivo final para os 60 passes? Ou vamos tocar do ladinho até perder a bola e tudo ficar por isso mesmo?

Vimos também um filme daqueles que repete mil vezes na TV. Estilo Duro de Matar. No caso, Duro de Suportar (trocadilho infame!, Perdão). Depois de fazer o gol, nossa goleira parecia um imã gigante que atraiu os 22 jogadores, os dois times, para perto dela. De novo nos encerramos, recuando em demasia. Meio a zero pra mim é bom, mas uma equipe deve saber manter o resultado sem sofrer perigo. Nossa retranca não é eficaz. Ela vaza. Contra times menores, como o Vitória, o Santa Fé, o Juventude, talvez a melhor maneira de manter o resultado seja mantendo-se perigoso no ataque. Quero muito ganhar amanhã. Mas se pudesse escolher, pediria um gol do Grêmio só depois dos 45 do segundo, quando não desse mais tempo de sofrer aquela pressão angustiante.

Vimos um Grêmio melhor na quarta. Acredito num time mais empolgado amanhã.

Toco y me voy

· Kl

Kleber:  longe de ser o jogador que eu sempre imaginei que era. Mas quanto a isso já estou conformado. De qualquer modo, achei que foi a melhor partida dele no Grêmio depois da lesão. Por um momento cheguei a acreditar que ele possa voltar a jogar o que um dia jogou.

Werley:  sou fã. Por isso, posso dizer com liberdade que vem fazendo partidas ruins nos últimos dois jogos. Será que sente o fato de ter o inexperiente Bressan ao seu lado?

Souza:  o Luxa tem colocado ele caindo bem pela direita mais, adiantado. Ele se sai muito bem! Faz boas triangulações com o Pará.

Adriano: são poucos jogos, mas do que vi até agora, acho que é um belo volante. Comprometido, com excelente físico, calmo e preciso na hora de passar a bola. Pode ser um substituto do Fernando? Talvez sim.

Abraço Tricolor.

Diego Ferrer

Sócio do Grêmio e do Grupo Grêmio Imortal

Comente