GRÊMIO ARRANCA UM PONTO NA VILA BELMIRO

Espero que no final do texto todos concordem que ganhamos um ponto e não perdemos dois como vem sendo dito nos noticiários do final de semana. Jogar contra o Santos na Vila Belmiro sempre foi difícil, tanto é verdade que em campeonatos brasileiros conseguimos vencer apenas uma vez no estádio do litoral paulista. Agora, quando o Santos vende o principal jogador do futebol brasileiro e seu treinador se afasta por problemas de saúde, as chances do Grêmio vencer aumentam exponencialmente, não aumentam?

Nós, torcedores irracionais responderemos que sim, que dessa vez vamos embalar duas vitórias seguidas já na largada da competição, que ficaremos com 100% de aproveitamento e será apenas “papar” o Vitória no meio da semana para assumirmos a liderança do campeonato. Infelizmente, o retrospecto recente do Grêmio não permite tamanha euforia.

Após a perda da Libertadores de 2007 para o Boca Junior dentro do Estádio Olímpico, cheguei a conclusão que não tínhamos qualidade suficiente para levantar o caneco do Continente. Desde aquele ano vejo o Grêmio ter lampejos de campeão em alguns momentos, um ou outro jogo que acende a esperança do sofrido torcedor gremista mas, em geral, sempre faltou um pouco de qualidade para chegar ao resultado. No momento decisivo nunca tínhamos o jogador diferenciado que chamaria a responsabilidade e definiria o confronto a nosso favor.

Em 2013 o torcedor gremista chegou à conclusão que essa falta de qualidade havia chegado ao fim, afinal de contas agora temos Barcos, Vargas, Zé Roberto. “Não será falta de qualidade no último passe ou na conclusão que determinará a perda de um campeonato”, pensou o torcedor.  Que engano. O primeiro semestre se encerrou sem títulos. O desprezo pelo “ruralito” e falta de qualidade de um zagueiro experiente determinaram a “mala suerte” dos tricolores nesse início de temporada. Mas o que isso tudo tem a ver com o jogo de sábado?

O torcedor que acompanha o Grêmio atentamente nos últimos anos vai fazer a conexão. Toda imprensa diz que o Grêmio poderia ter vencido, que foram 2 pontos perdidos e esse um ponto não é nada. Eu afirmo que foi um ponto conquistado. Nos últimos anos cansei de ver o Grêmio iniciar bem a partida, ter 4 ou 5 chances de gol, sufocar o adversário e as vezes sair ganhando de 1×0 fora de casa. Em mais de 75% dessas vezes sofremos o empate e não tenho o número correto, mas em 40 ou 50% sofremos a virada no final. Esse Grêmio dos últimos anos não tem GANA de vencer. Isso está claro para o torcedor. Fazer 1×0 é um desespero para os tricolores porque o time vai se “achicar” de tal maneira que a vitória se torna algo heróico e nosso elenco atual não demonstra atitudes de heroísmo.

O torcedor do Grêmio não quer um jogador “porra louca” que queira impor respeito quebrando a perna ou batendo nos adversários, o esporte não tem mais espaço para isso. Cris tentou conquistar a torcida assim e acabou nos eliminando da Libertadores. Queremos jogadores com vontade de vencer, que lutem até o final e não que comecem a “amorcegar” o jogo após marcar o 1×0 como tem acontecido nos últimos anos. Experiência é “amorcegar” o jogo depois dos 30 da segunda etapa, e não no final do primeiro tempo. O jogo de sábado foi um ponto conquistado, não me importa se o Santos vai perder para todos os grandes em casa, o Grêmio escapou de perder com o futebol medíocre e covarde que apresentou no segundo tempo. Para o torcedor atento, o gol do Santos estava escancarado desde o início da segunda etapa.

Não vou pontuar onde estão os erros, se é na escalação, no preparo físico dos atletas, dentro do vestiário ou na casamata. O presidente Koff foi eleito para identificar esses problemas e tem experiência de sobra no futebol para fazê-lo. Não sou pessimista, com o nível dos clubes disputando o Brasileirão esse ano, acredito que o elenco gremista tem todas as condições de conquistar esse título caso mude de atitude, porque se mantivermos a mesma e a postura derrotista do jogo contra o Santos, a vaga na Libertadores estará de bom tamanho.

Felipe Rocha Escobar

Sócio do Grêmio e do Grupo Grêmio Imortal

2 comentários para “GRÊMIO ARRANCA UM PONTO NA VILA BELMIRO”

  1. Guilherme Schulze disse:

    Eu concordo que ganhamos um ponto por dois motivos: pelo histórico do Grêmio na Vila, mas principalmente pelo momento atual.
    Não sinto gana de ganhar em nossos jogadores. Acredito que quando falta uma liderança de postura, a liderança técnica domina e nossos lideres técnicos são muito tranquilos e com pouco sentimento de indignação, na forma de jogar ou na forma de lidar com o resultado adverso.
    Se não mudar o treinador, acho que precisamos por alguém que ainda tenha que provar que merece um lugar ao sol. Coloquemos um guri qualquer para jogar ao lado do Elano ou do Zé Roberto e esses… que se revezem.

  2. Paulo Ferrer disse:

    Está faltando “sangue tricolor”. O nosso time é formado por “estrangeiros” e não foi com tal formatação que o Grêmio realizou as suas grandes conquistas. Precisamos de jogadores da casa, que já começam a surgir, após longa “estiagem”.

Comente