“POR QUE APOIAMOS FÁBIO KOFF”

A democracia exige participação dos integrantes de uma sociedade, estimulando a explicitação de idéias e meios para o vencimento das dificuldades que se interpõem em seu caminho, buscando, assim, o seu constante aprimoramento e crescimento.

Eleições são marcos nas sociedades democráticas, pois as disputas pelo poder envolvem ampla discussão entre as partes que o postulam e oportunizam que a maioria opte pelos caminhos que julgar mais promissores.

No Grêmio, os Grupos Organizados de Associados, título que nós do Grêmio Imortal preferimos em detrimento de Grupos Políticos, têm obrigação de participar ativamente dos eventos eleitorais, com as idéias e posições resultantes de seus constantes debates internos.

Decidimos apoiar e participar do esforço de recondução de Fábio André Koff à presidência do Grêmio e pretendemos expor os motivos a seguir. Concentraremos nossa escolha no embate provável entre Fábio Koff e Paulo Odone, embora reconheçamos em Homero Bellini Jr. um gremista em condições de postular tal cargo, porém ainda sem a experiência dos dois primeiros. Respeitamos a candidatura de Eldir Antonini, mas a consideramos carente da vivência de Grêmio necessária e indispensável para ocupar a sua Presidência.

Fábio Koff Profissional e Líder

Advogado e Juiz de Direito, Fábio Koff habituou-se a ouvir, conviver com o contraditório e decidir. Sem imprimir medo em seus interlocutores, estimula-os a expor suas idéias.

Sua postura ética tem sido exemplo para todos aqueles que se dispõem a voluntariamente trabalhar pelo Clube.

Homem de visão, inteligente e com inegável liderança nata, é capaz de manter um auditório repleto em profundo silêncio a ouvi-lo atentamente durante longo tempo.

Fábio Koff no Futebol

Envolvido com o futebol desde a sua infância, Fábio Koff foi jogador, treinador e dirigente do Atlântico de Erexim.

No Grêmio participou ativamente de diversos setores, até ocupar a Presidência nos períodos vitoriosos de 1982-1983 e 1993-1996.

Em 1996 assumiu o Clube dos 13, onde permaneceu por 16 anos defendendo os interesses políticos e financeiros dos principais clubes do Brasil, com enormes vantagens para os mesmos.

Não há como se colocar dúvida sobre sua experiência e profundos conhecimentos do futebol, brasileiro e mundial, em todas as suas instâncias, e não vemos hoje nenhum outro companheiro de Grêmio com perfil equivalente.

Fábio Koff um Vencedor

Existem pessoas que carregam consigo a marca de vencedor, outras a fama de azarados.

Não sei quem criou a frase “A Sorte Acompanha os Competentes”, mas sei que Marcos Herrmann frequentemente diz que as vitórias de Fábio Koff não foram frutos do acaso e, sim,  construídas por sua capacidade.

Sob seu comando o Grêmio foi Campeão da Copa do Brasil – 1994, Campeão Brasileiro da Série A – 1996, Bi-Campeão da Copa Libertadores – 1983 e 1995, Campeão do Mundial Interclubes – 1983 e Campeão da  Recopa Sul-Americana – 1996, seis grandes títulos em seis anos de mandato.

Inegavelmente é muito mais do que Paulo Odone conseguiu em onze anos de Presidência, Campeão da Copa do Brasil1989 e do Campeonato Brasileiro Série B2005.

Paulo Odone – Fim de Um Ciclo

Após a desastrada experiência da parceria com a ISL, que resultou, inclusive, em lamentáveis ações criminais, nosso Clube, profundamente endividado, acabou na 2ª Divisão do Brasileiro.

Paulo Odone foi eleito e assumiu a Presidência, apoiado e com participação ativa de vários companheiros que já constituíam o embrião do Grupo Grêmio Imortal. Teve o mérito de trazer o Clube de volta à primeira divisão e de construir a Arena, um monumento que representará o seu nome na história do Clube.

Por outro lado, é preciso enfatizar que de 2001 a 2011 foram dez anos sem qualquer título expressivo e com pouca evolução na forma de gestão e, nestes dez anos, seis deles sob o comando de Paulo Odone. Foram dez anos de trabalho de muitos gremistas, inclusive nosso em 2009-2010, sem a conquista dos títulos que a grandeza do Grêmio exige.

É preciso, enfim, mudar! É preciso dar novos rumos à forma de gerir o Grêmio, cujo modelo está ultrapassado. É o fim de um ciclo.

Fábio Koff – Projeto

O PROJETO do Pres. Fábio Koff, que teve, inclusive, nossa contribuição, foi construído durante dois anos, com a participação de gremistas altamente capacitados e compreende mais de seiscentas páginas.

Trata-se de trabalho inédito no Grêmio, pelo seu conteúdo e grandeza, que propõe um choque de gestão capaz de recolocar o Clube entre os maiores do Mundo.

Nosso Grupo não poderia deixar de apoiar e participar de tal movimento, até porque gostamos de fazer projetos, muito mais do que fazer política, conforme se pode ver em textos anteriores na coluna O Futuro do Grêmio, neste mesmo site.

Conclusão

Embora não se esgotem aqui nossos argumentos, entendemos que os acima expostos são suficientes e decisivos para o nosso posicionamento claro e total engajamento no movimento pelo retorno de Fábio Koff à Presidência do Grêmio, acompanhado de seus Vice-Presidentes Adalberto Preis, Marcos Bier Herrmann, Nestor Hein, Odorico Roman, Renato Moreira e Romildo Bolzan Jr.

Como grupo organizado de associados, apoiamos, avalizamos e participamos ativamente deste movimento pela reconquista dos espaços que, pela grandeza do nosso Grêmio, lhe pertencem.

2 comentários para ““POR QUE APOIAMOS FÁBIO KOFF””

  1. Roberto da Silva Santos disse:

    Concordo plenamente com os argumentos aqui citado, e quero deixar minha contribuição e pedindo apoio dos gremistas para que votem em Fabio Koff para voltarmos ao lugar em que merecemos estar. Um abraço ao pessoal da Grêmio Imortal e da Geral do Grêmio, sempre apoiando o clube mesmo até em seus piores momentos de gestão.

  2. Sofia Cabral disse:

    Adalberto Preis engrandece o grupo. Parabéns!

Comente