NOSSO GRUPO E O GRÊMIO EM 2011

A eleição para o Conselho de Administração de 2010 determinou que a gestão do Grêmio 2011-2012 fosse exercida por uma coligação liderada pelo Presidente Paulo Odone.

Ao nosso Grupo coube continuar participando da vida do Clube através do Conselho Deliberativo, nos colocar a disposição da Diretoria para tarefas eventuais que julgassem necessárias e continuarmos nossa preparação para o dia em que formos novamente chamados para participar de sua gestão. Cada um de nós, evidentemente, continuou com a eterna função de torcedor, porque esta depende exclusivamente da opção que há muito fizemos, ou não fizemos já que nascemos azul, preto e branco.

Diante das dificuldades surgidas no campo, com a perda inesperada do Campeonato Gaúcho, a desclassificação na Libertadores e as péssimas atuações na fase inicial do Campeonato Brasileiro, apoiamos publicamente as manobras da Diretoria, tais como a difícil dispensa de Renato Gaúcho, um dos maiores ídolos da história do Grêmio, a escolha e posterior dispensa de Julinho Camargo e a recontratação de Celso Roth, o treinador com maior rejeição por parte da torcida.

Voltamos a freqüentar treinamentos e a dar apoio à Direção de Futebol, à medida que percebemos que a mesma não contava com o necessário respaldo do Conselho de Administração. Naquele momento o surgimento do inaceitável “Fogo Amigo” tornava pública a falta de unidade da Coligação Eleita.

No Conselho Deliberativo o Grêmio avançou muito em 2011. Sob a coordenação do Pres. Raul Régis foi aprovada a redução das “cláusulas de barreira”, de 30 para 20%, tanto para o Conselho de Administração como para o Conselho Deliberativo, o voto dos suplentes nas sessões do Conselho, em substituição aos titulares ausentes, o requisito da chamada “ficha limpa” e a obrigatoriedade de nomeação das Comissões Permanentes.

O Grupo Grêmio Imortal participou de forma intensa desses processos, não apenas apresentando projetos – como o de redução das cláusulas de barreira e regulamentação dos grupos, este último ainda não votado – mas também opinando para o aprimoramento daqueles cuja iniciativa não foi nossa. Não ficamos apenas “aplaudindo” as reformas estatutárias. Assumimos posições e as defendemos, além de que não deixamos de realizar as críticas julgadas necessárias, as quais foram sempre construtivas e as procuramos externar de forma a não prejudicar o Clube.

Infelizmente nem todos os assuntos foram decididos da forma como o Grupo, ou a maioria de seus componentes, pensa.

Diante da proposição do 2º aditivo ao Contrato Grêmio x OAS para a construção da Arena, nos mobilizamos num curtíssimo espaço de tempo e conseguimos reunir 8 (oito) Grupos em torno da idéia de rejeitá-lo naquele momento, pois entendíamos que o tema merecia uma análise mais profunda, sobretudo em relação aos fatos e números envolvidos. Apesar de apresentarmos argumentos consistentes, fomos derrotados pelos Conselheiros alinhados com a Diretoria.

Fomos derrotados também na tentativa de re-abertura do Caso Guerreiro, apesar dos votos da maioria de nossos Conselheiros.

Também não podemos esquecer a nossa intensa participação junto ao “Foro de Debates”, idéia que desde o início apoiamos, na busca de uma agenda mínima entre os diversos grupos que atuam no Grêmio.

Ao terminar este ano de 2011, ficamos com a sensação de termos feito o possível para ajudar o nosso Grêmio. Dedicamos muitas horas ao Clube, por sabermos que a grandeza do mesmo depende, como vem ocorrendo há 108 anos, do trabalho voluntário e isento de interesses pessoais de seus torcedores.

Desejamos que no próximo ano o Conselho Deliberativo continue avançando no sentido de aprimorar o Clube, o Conselho de Administração se una, esqueça os interesses pessoais e dedique maior atenção ao futebol e que a torcida cada vez mais apóie o nosso Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense.

De nossa parte, o Clube continuará contando com o trabalho dedicado do Grupo Grêmio Imortal.

Um Feliz 2012 a todos.

Comente